top of page

O que nos diz a Sexta-feira Santa?

Atualizado: 6 de jul. de 2022


Na missa das 18h30 no sábado, 09 de abril, em nossa paróquia, já celebrando o Domingo de Ramos, após a leitura do Evangelho que narra a paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Padre Miguel iniciou a homilia questionando, a cada um de nós, qual reação nos causava ouvirmos aquelas palavras.



Disse ele (e vale muito buscar essa gravação em nossas mídias sociais: https://youtu.be/1jQKWvmh8cc):


Será que já estamos acostumados a ouvir a narração de tudo o que Jesus passou? Será mais uma Semana Santa, com mais um Tríduo Pascal, onde passaremos pela Quinta e Sexta-feira Santa, chegando à Vigília Pascal, no Sábado de Aleluia, e ao Domingo de Páscoa?

E em seguida foi discorrendo sobre a importância de vivermos intensamente cada momento que estava por vir, percebendo qual a nossa participação em tudo isso.



Ao ouvir um questionamento como esse, muitas sensações podem vir ao nosso coração e a nossa mente. Podemos ouvir e ficar indiferentes, achando que é isso mesmo: vamos passar por tudo novamente, e a vida segue. Ou cada um pode se perguntar, efetivamente: que reação eu tenho diante do sofrimento do Senhor Jesus?



A Santa Mãe Igreja nos propicia esse tempo de Quaresma e Semana Santa exatamente para isso: não ficarmos indiferentes diante da maior demonstração de amor da história da humanidade. O Deus que se faz homem e permite que seja condenado, humilhado, açoitado, escarnecido, coroado de espinhos, crucificado e morto. Não há prova de amor maior do que essa. Um mistério que jamais conseguiremos compreender.



Jesus, que amor é esse?



Olhando para a o Cristo Crucificado, dois pensamentos vêm ao meu coração. Primeiro, não podemos esquecer que tudo aquilo que ouvimos na narração do Evangelho sobre a Paixão de Nosso Senhor aconteceu de verdade, e tem um responsável: o nosso pecado. Como profetizou Isaías, mais de 7 séculos antes, no capítulo 53, versículos 4, 5 e 6:



Em verdade, ele tomou sobre si nossas enfermidades, e carregou os nossos sofrimentos: e nós o reputávamos como um castigado, ferido por Deus e humilhado. Mas ele foi castigado por nossos crimes, e esmagado por nossas iniquidades; o castigo que nos salva pesou sobre ele; fomos curados graças às suas chagas. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, seguíamos cada qual nosso caminho; o Senhor fazia recair sobre ele o castigo das faltas de todos nós.”


Não foram os judeus daquela época ou as autoridades religiosas, nem mesmo os romanos. Jesus foi crucificado para pagar os nossos pecados, as nossas transgressões, de todos os homens em todos os tempos. Por isso o pecado que cometemos hoje, no século XXI, também é responsável pela morte do Senhor. Quando Jesus pede ao Pai: “Perdoai-os por que não sabem o que fazem”, está pedindo por mim e por você. Por isso, ao olhar o Crucificado, devemos bater no peito e clamar: Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim, que sou pecador. E o seu perdão certamente se derramará sobre nós abundantemente, pois, como disse São Paulo aos Romanos, “onde abundou o pecado, superabundou a graça" (Rm. 5,20). Juntamente com as palavras que mudaram a vida daquela pecadora e mudam também a nossa: "vai e não peques mais". E assim começa uma vida nova.



Em seguida, contemplando Jesus Crucificado, da mesma forma não podemos jamais esquecer: ELE FEZ TUDO ISSO POR AMOR!!! Como nos diz a liturgia: “estando para ser entregue e abraçando livremente a paixão...” . Quando olharmos para a cruz nesta Sexta-feira Santa, vamos lembrar que foi nosso pecado que levou Jesus à cruz, mas também lembrar sobretudo que foi um ato livre de amor. Amor pessoal, por você e por mim. Para que nós tivéssemos acesso ao Pai e ao seu Reino, para que pudéssemos ter vida e vida em abundância. Lembremo-nos do que disse João: “De tal modo Deus amou o mundo que lhe deu seu Filho único para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” (Jo. 3,16).



Meu irmão, minha irmã, foi porque somos amados e queridos por Deus, que seu Filho passou por tudo que vamos ouvir e vivenciar nas celebrações da Sexta-feira Santa.



Então, ao ouvir as narrações e contemplar a cruz, lembre-se: FOI POR VOCÊ! FOI POR MIM! FOI POR TODA HUMANIDADE! E sinta-se profundamente agradecido. Não consigo expressar outro sentimento que não seja esse, gratidão. Muito obrigado Senhor Jesus!!!



E quando estivermos com alguma dúvida de fé em nosso coração, lembremo-nos: Ele fez tudo por nós! Será que não devemos fazer tudo por Ele?



Uma abençoada Semana Santa para você e sua família, na graça de Deus e sob a poderosa intercessão da Santíssima Mãe de Deus!!!



“Nós vos adoramos Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos, porque pela vossa Santa Cruz remistes o mundo.”


13 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page