top of page

Mensagem do Papa para o Dia Mundial do Enfermo


No dia 11 de fevereiro será celebrado o XXXI Dia Mundial do Doente. A Mensagem do Papa Francisco para essa ocasião levou o título: “Trata bem dele!” O papa pede que se evite a “cultura do descarte’ e que caminhemos juntos na doença, “segundo o estilo de Deus, que é proximidade, compaixão e ternura”.

vatican.news


Francisco observa que é nos momentos em que a doença se faz presente em nossa experiência humana que se vê como estamos caminhando: se é um caminhar juntos, ou se cada um vai na mesma estrada, cuidando dos próprios interesses e deixando que os outros «se arranjem».



O Papa afirma que as experiências do extravio, da doença e da fragilidade fazem parte do nosso caminho. Não nos excluem do povo de Deus. Colocam-nos no centro da solicitude do Senhor, que é Pai e não quer perder nenhum dos seus filhos. Trata-se, pois, de aprender com Ele a ser verdadeiramente uma comunidade que caminha em conjunto, capaz de não se deixar contagiar pela cultura do descarte.



A seguir, o Pontífice lembra a parábola do Bom Samaritano e faz uma analogia com os nossos dias. Naquele homem espancado e roubado que fica abandonado na estrada, disse que podemos ver tantos irmãos e irmãs na hora em que mais precisam de ajuda. Vivem uma condição terrível de solidão e abandono. De nossa parte, basta um momento de atenção, o movimento interior da compaixão. Como sentiu o samaritano, ao contrário dos dois sacerdotes que passaram pelo mesmo caminho. Foi ele que cuidou do homem caído na estrada, um estranho.



O Papa aponta como é importante que toda a Igreja se confronte com o exemplo evangélico do bom samaritano, para se tornar um «hospital de campanha» e cumprir a sua missão da prestação de cuidados.



O povo de Deus, as instituições de saúde e a sociedade civil devem descobrir uma nova forma de avançar juntos. A estalagem, o estalajadeiro, o dinheiro, a promessa de retorno do samaritano (cf. Lc 10, 34-35) fazem pensar no ministério de sacerdotes, no trabalho de operadores de saúde e agentes sociais, no empenho de familiares e voluntários, graças aos quais cada dia, em todo o mundo, o bem se opõe ao mal.


Francisco, então, prossegue:



«Trata bem dele!» (Lc 10, 35) é a recomendação do samaritano ao estalajadeiro. Jesus a repete a cada um de nós: «Vai e faze tu também o mesmo».


«Fomos criados para a plenitude que só se alcança no amor. Viver indiferentes à dor não é uma opção possível» (Fratelli Tuti).



Ao final, Francisco confiou à intercessão de Maria, Saúde dos enfermos, cada doente, as pessoas que cuidam dos enfermos e todos os que se esforçam em manter laços pessoais (eclesiais e civis) de fraternidade.



Deus abençoe você, que se dispõe a seguir os pedidos de nosso Papa.



Fonte: Vatican.va


15 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page