top of page

Leitura Orante da Palavra


1º Passo: Leitura


Dentro do mês da Bíblia, refletindo no fato de que precisamos encarnar a Palavra de Deus em nossa vida, estamos buscando, como Paróquia, um instrumento e um caminho para fazer isso.



Porque, de fato, “A natureza da água é mole e da pedra é dura, mas o vaso que está suspenso acima da pedra e que deixa cair a água gota a gota atravessa a pedra. Do mesmo modo, a palavra de Deus também é macia e o nosso coração é duro, mas se o homem escuta muitas vezes a Palavra de Deus, seu coração se abre ao temor de Deus. (REGNAULT, Lucien. À escuta dos pais do deserto hoje. Trad. Monjas beneditinas do Mosteiro de Nossa Senhora das Graças. Juiz de Fora: Mosteiro da Santa Cruz, 2000, p. 144).

Na postagem anterior, do dia 1º de setembro, vimos que o monge cartuxo Guigo meditava sobre o exercício espiritual, e, enquanto refletia, percebeu a existência de quatro degraus espirituais: a leitura, a meditação, a oração, a contemplação.

Iniciaremos, hoje, com o primeiro passo.



Necessitamos de um ambiente tranquilo, de silêncio, não podemos ter pressa. Em primeiro lugar, precisamos invocar o Espírito Santo, que torna viva a Palavra em nossas mentes e corações. Podemos fazer isso rezando ou cantando. O mesmo Espírito de Deus, que inspirou os textos sagrados, leva-nos a orar com eles e a compreendê-los. Peçamos a graça de que Ele abra nosso coração para aquilo em que quer que foquemos nosso olhar interior nesse momento, e supliquemos a graça de entender, acreditar e obedecer.



Então comecemos a Lectio Divina com a leitura (lectio) do texto. Vamos ler o texto devagar: o texto e o contexto, quantas vezes for necessário até que a Palavra ressoe dentro de nós, buscando um conhecimento verdadeiro do seu conteúdo:



O que diz o texto bíblico em si mesmo?


A leitura não é o que eu acho que o texto diz. Tampouco é o momento de fazer a minha interpretação. É apenas o estudo do texto. Podemos imaginar as pessoas, o lugar, as coisas (“entrar” na cena).



Para captar o sentido do texto do modo mais pleno possível, podem ajudar algumas perguntas:

• Quem está no texto? O que diz e o que faz cada personagem?
• Onde se passa? Como se situa este texto na Bíblia e em que contexto está?
• O texto é simbólico, é um fato, é poesia, é sapiencial? Pertence a qual livro bíblico? Este foi escrito com que objetivo?
• Que relação tem com outros textos?
• Trata-se de algum tempo especial litúrgico? Para que serve este tempo?
• Que relação tem com outros textos?


Com relação aos fatos descritos, há perguntas específicas que devemos fazer:



Quando? Onde? Quem? O que são os personagens? Quais as consequências disto? Quantos são? Como estão? Por que estão assim? O que faziam? O que diziam? O que Jesus fez? O que Jesus disse? O que lhe disseram? O que sentiram? Como reagiram?


Na Exortação Apostólica sobre a Palavra de Deus na Vida e na Missão da Igreja, Verbum Domini, de 30/09/2010, o hoje Papa Emérito Bento XVI conclama os fiéis a, nesse momento da leitura, acolher a Bíblia não como um livro qualquer, mas como um tesouro – a Palavra de Deus-, que quer nos falar. Experimente!



Aguardamos vocês, queridos paroquianos ou amigos de nossa Comunidade, no próximo final de semana, para voltar nosso olhar ao segundo passo da Leitura Orante.



Deus os abençoe!

17 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page