top of page

O CAMINHO ESPIRITUAL DA LEITURA ORANTE DA PALAVRA. 2º Passo: Meditação


Contextualizando esta postagem, lembramos que estamos no mês da Bíblia, e, refletindo no fato de que precisamos encarnar a Palavra de Deus em nossa vida, buscamos um instrumento e um caminho para fazer isso: o caminho espiritual da Leitura Orante.



Tendo invocado o Espírito Santo e feito atentamente a leitura e releitura do texto, bem como de seu contexto, passamos ao segundo passo: a Meditação. Precisamos ir avançando, porque, como já dizia Orígenes,



Se tentares reduzir o sentido divino ao significado puramente exterior das palavras, a Palavra não encontrará motivo para abaixar-se vindo ao teu encontro, e voltará para sua morada secreta [...]. Esse sentido divino tem asas, ele as recebe do Espírito Santo, seu guia [...]. Não querer elevar-se acima da letra, mas ocupar-se somente dela é sinal de uma vida de mentira (ORÍGENES. Comentário sobre o Livro dos Provérbios, 23. In: CLÉMENT, Olivier. Fontes: Os místicos cristãos dos primeiros séculos, textos e comentários. Trad. Monjas beneditinas no Mosteiro de Nossa Senhora das Graças. Juiz de Fora: Mosteiro da Santa Cruz, 2003, p. 92).

A meditação da Palavra, da Sagrada Escritura, é fonte de recriação do nosso ser, de remodelação, de conversão, conduzindo-nos à plenitude de nossa vocação de filhos de Deus. Esta palavra transformadora encarnou-se em Jesus, que veio “procurar e salvar o que estava perdido” (Lc. 19, 10), e restabelecer o vínculo de união entre o ser humano e Deus. Ele foi o cumprimento do Antigo Testamento e o sujeito do Novo Testamento, foi e é o centro da Revelação.



Pela Leitura Orante, aplicamos nosso espírito aos Dois Testamentos, sem perder de vista sua interpretação pela Igreja e pela Tradição. Na Exortação Apostólica sobre a Palavra de Deus na Vida e na Missão da Igreja, de 30/09/2010, Bento XVI, então Sumo Pontífice, ilumina esse passo da meditação: “a Sagrada Escritura é um exímio instrumento da poderosa mão de Deus. Por isso, o nosso meditar deve superar a nossa surdez àquelas palavras que não estão de acordo com as nossas opiniões ou preconceitos, escutar e estudar, meditar a Palavra na comunhão dos fiéis de todos os tempos”.



Nesta fase da Leitura Orante, há uma ação deliberada da mente para investigar, com ajuda da própria vida e da razão, o conhecimento das verdades ocultas no texto. Não é mais o que está expresso na letra, mas a verdade ali oculta. A meditação começa como o trabalho da formiga que busca as folhas, muito maiores do que ela, e as leva para sua toca. E prossegue como o trabalho da abelha quando está elaborando o mel, ou do animal, que rumina o alimento.



Então, durante a meditação (meditatio), poderemos nos perguntar: o que nos diz o texto bíblico?



Releiamos o texto devagar. Que palavras, imagens, ações chamaram nossa atenção? Paremos naquilo que nos atraiu, recolhendo-nos e meditando sobre essa palavra, essa frase, pois o que queremos é nos encontrar com Jesus, fazer a experiência desse encontro com Ele nesta Palavra específica.



Imaginemos a cena que a Palavra descreve. Por exemplo, conhecemos a passagem do jovem rico que perguntou a Jesus o que deveria fazer para ganhar o reino do céu. Depois de apontar os mandamentos, Jesus lhe falou: Ainda te falta uma coisa: vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me. Sabemos que, ao ouvir Jesus, o jovem se entristeceu, pois era muito rico. Então Lucas 18,24, relata: Vendo-o entristecer-se, disse Jesus: Como é difícil aos ricos entrar no Reino de Deus! A Palavra diz que Jesus olhava o jovem. Podemos nos perguntar com que amor Jesus olhou para ele, e isso vai nos ajudar a penetrar melhor na cena e a enriquecer nossa meditação.



Aqui não se trata de considerar palavras pronunciadas no passado. São palavras que falam no presente. É muito importante, ainda, perceber o que o texto diz para mim e não somente para os outros. Esse diálogo pode ser facilitado por algumas perguntas, como:


. O que há de semelhante e de diferente entre a situação do texto e a nossa de hoje?

. O que a mensagem deste texto diz para a nossa situação?

. Que mudanças de comportamento nos sugere?



Procuremos enxergar o que a Palavra de Deus tem a nos dizer sobre Deus ou sobre como devemos viver. Atualizemos o texto, ligando-o com a nossa vida.



Neste passo, como ensina Bento XVI na Exortação Apostólica Verbum Domini, pode-se perceber o quanto as ideias de Deus são diferentes das nossas e a necessidade de deixar que a Palavra de Deus transforme as nossas convicções. Muitas vezes, é preciso mudar de mentalidade para aderir à vontade de Deus. São Paulo, na Carta aos Romanos, afirma:


"Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, a fim de conhecerdes a vontade de Deus: o que é bom, o que Lhe é agradável e o que é perfeito" (12, 2).


Deus o abençoe e até o próximo final de semana, quando aprofundaremos o 3º Passo da Leitura Orante: a oração.

35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page