top of page

Por que cinco sábados em reparação ao Imaculado Coração?


O pedido de Nossa Senhora da devoção dos 5 primeiros sábados é uma confirmação de uma antiga piedade mariana, que remonta aos primeiros séculos da Igreja. No Missal Romano de 1570, São Pio V introduziu a Missa de Nossa Senhora nos Sábados.



Com o Papa São Pio X, a devoção dos primeiros sábados foi aprovada e encorajada pela Santa Sé que, em 10 de julho de 1905, indulgenciou, pela primeira vez, essa devoção mariana. Em 13 de junho de 1912, São Pio X concedeu “indulgência plenária, aplicável às almas dos defuntos, no primeiro sábado de cada mês, por todos aqueles que, nesse dia, se confessarem, comungarem, cumprirem exercícios particulares de devoção em honra da bem-aventurada Virgem Maria, em espírito de reparação”.



Cinco anos depois, na mesma data, aconteceu a “segunda aparição de Nossa Senhora em Fátima, durante a qual os três pastorzinhos testemunharam a primeira grande manifestação do Imaculado Coração da Virgem Maria, vendo-o cercado de espinhos, que pareciam enterrados nele. Compreenderam que “era o Imaculado Coração de Maria ultrajado pelos pecados da humanidade que queria reparação”. Os termos usados pelo Papa São Pio X são quase exatamente os mesmos do pedido de Nossa Senhora à Irmã Lúcia.



Em 1930, padre José Bernardo Gonçalves, então confessor da Irmã Lúcia, intrigado com a devoção dos cinco primeiros sábados em reparação ao Imaculado Coração de Maria, perguntou à Irmã: “Por que hão de ser ‘cinco sábados’ e não nove ou sete em honra das dores de Nossa Senhora?” Lúcia não soube responder a pergunta do confessor.



Contudo, durante uma de suas orações, na noite do dia 29 para 30 de maio de 1930, nosso Senhor Jesus Cristo revelou à Irmã Lúcia a razão da devoção dos cinco primeiros sábados:



“Minha filha, o motivo é simples: são cinco as espécies de ofensas e blasfêmias contra o Imaculado Coração de Maria:

1 – As blasfêmias contra a Imaculada Conceição; 2 – Contra a Sua virgindade; 3 – Contra a Maternidade Divina, recusando, ao mesmo tempo, recebê-La como Mãe dos homens; 4 – Os que procuram publicamente infundir, nos corações das crianças, a indiferença, o desprezo e até o ódio para com esta Imaculada Mãe; 5 – Os que a ultrajam diretamente nas suas sagradas imagens.
Eis, minha filha, o motivo pelo qual o Imaculado Coração de Maria Me levou a pedir essa pequena reparação; e, em atenção a ela, mover a minha misericórdia ao perdão para com essas almas que tiveram a desgraça de a ofender”.

Quanto ao modo como praticar a devoção, a própria Virgem indicou que, durante cinco primeiros sábados de cinco meses seguidos, fossem realizados alguns atos de piedade na intenção geral de reparar nossos próprios pecados e os de toda a humanidade contra o Coração Imaculado de Maria.
Esses atos são os seguintes:
1 – A Confissão no primeiro sábado, ou até oito dias antes.
2 – O Terço Mariano.
3 – Os 15 minutos de companhia a Nossa Senhora, meditando sobre os 15 mistérios do Rosário.
4 – A comunhão reparadora.

A intenção reparadora na devoção dos cinco primeiros sábados é muito importante, porque as ofensas contra o Imaculado Coração de Maria também ofendem gravemente o Sacratíssimo Coração de Jesus. Cada vez mais, em nosso tempo, multiplicam-se os ataques contra a dignidade, os privilégios, as honras devidas a Nossa Senhora. Além disso, há uma diminuição considerável do culto mariano em quase toda a Igreja, em consequência principalmente de erros espalhados no mundo todo.



A Irmã Lúcia escreveu a Dom Manuel Maria Ferreira da Silva, Arcebispo de Gurza, em 27 de maio de 1943, sobre o poder e a eficácia sobrenaturais da devoção ao Imaculado Coração de Maria:



“Os Santíssimos corações de Jesus e Maria amam e desejam este culto [para com o Coração de Maria], porque dele se servem para atrair todas as almas a eles, e isso é tudo o que desejam: salvar as almas, muitas almas, todas as almas”.

E prosseguia: Nosso Senhor me dizia há alguns dias:


“Desejo ardentemente a propagação do culto e da devoção ao Coração de Maria, porque este Coração é o ímã que atrai as almas para mim, a fornalha que irradia na terra os raios de minha luz e de meu amor, fonte inesgotável de onde brota na terra a água viva de minha misericórdia”.


Com a certeza da eficácia desta devoção, peçamos perseverantemente à Santíssima Virgem as disposições corretas de nossa alma para praticá-la.



Imaculado Coração de Maria, rogai por nós!



Fonte: Canção Nova

250 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page